Hoje faz exatamente um ano que postei sobre as câmeras digitas que sofreram com a areia de praia. E não é que a Kodak C713 que tive que abrir ano passado para limpar a areia retornou esta semana para uma nova checagem? E pior que eu avisei a dona para tomar mais cuidado ainda, pois eu não consertaria novamente.

Kodak C713 aberta
Infelizmente desta vez não consegui dar jeito. Embora ela tenha sido pouco exposta a areia o LCD começou a apresentar um brilho excessivo. Como sempre desmontei a câmera o mínimo possível para evitar estragar mais ainda. A quantidade de areia dentro do mecanismo desta vez era bem menor e a limpeza foi tranqüila. Mas depois de remontar tudo (que é a pior parte) o display continuou com problemas. Desmontei mais um pouco, limpei mais, remontei e nada.

Kodak C713 aberta
Pensei em desmontar tudo de novo e checar as soldas e, caso necessário, ressoldar alguma suspeita. Como isso poderia causar outro problema e conhecendo a dona da câmera pensei melhor não fuçar mais com isso. Afinal fora o display meio branco pelo excesso de brilho a câmera funciona normalmente. Outro motivo de não querer nem olhar pra essa câmera é o maldito capacitor do flash de 110uF x 330V que me deu uns três ou quatro choques nada agradáveis. Eu sempre me esqueço de descarregar essas coisas antes de fuçar nos aparelhos.

Capacitor da Camera Kodak C713