segunda-feira, 30 de maio de 2016

Por dentro de um milivoltímetro AC Leader LMV86A

3 comentários
E lá vou eu com mais um "por dentro". Desta vez eu mostro um milivoltímetro AC Leader modelo LMV86A. Olha ele aqui:
Milivoltímetro Leader LMV-86A


E, claro, tem a desmontagem em vídeo e depois mais fotos e algumas notas:


A parte de cima do chassis, com o medidor, três válvulas, o transformador de alimentação e o capacitor da fonte:

Milivoltímetro Leader LMV-86A válvulas

As válvulas são uma 6C4 e duas 12AT7:
Milivoltímetro Leader LMV-86A válvulas 6C4 e 12AT7

Por baixo do chassis tem a montagem ponto a ponto, sem placa de circuito impresso. No vídeo eu falo em montagem em aranha, o que não é muito correto:
Milivoltímetro Leader LMV-86A chassis

Detalhe da chave de comutação e embaixo dela os quatro diodos da fonte. No esquema que encontrei a fonte usa apenas um diodo (meia-onda). Esta minha unidade parece ser uma versão atualizada.
Milivoltímetro Leader LMV-86A fonte

E por falar em atualização, um cara lá do Japão fez uma modificação no aparelho dele trocando todo o circuito original por um circuito com amplificadores operacionais. O meu por enquanto vai permanecer original, mas já pensei em colocar um circuito com um CI conversor RMS para DC que tenho sobrando aqui.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Por dentro de um Super Fone CT3000N da Tamagawa

2 comentários
No "por dentro" de hoje mostro um Super Fone Japonês (da Tamagawa). É um telefone sem fio parrudo, pra pegar bem longe.
Super Fone CT3000N Frente

Como sempre fiz um vídeo enquanto desmontava:


E pra quem não gosta de ver vídeo tirei umas fotos e escrevi umas notas com o que esqueci de falar no vídeo ou só achei depois da gravação (gravo sem roteiro e sempre falta alguma coisa).

Primeiro achei um site que parece vender o aparelho (ou talvez seja um site abandonado). Lá encontrei algumas especificações como as potências da base e do módulo remoto. A base tem 5W de saída e o remoto tem 2.5W ou 300mW (depende da posição da chave Hi-Low power). A frequência de operação é na faixa de 46 ou 72MHz, dependendo do canal (são 40). A bateria, que eu não tenho, é de 6V.

Vista de toda a base:

Super Fone CT3000N vista interna

A placa de RX e da entrada de linha telefônica. No vídeo eu falo do LM567 que tem na placa e olhando melhor agora acho que ele tem alguma coisa a ver com o intercomunicador.

Super Fone CT3000N receptor e telefonia

Placa do transmissor, só com transistores:
Super Fone CT3000N TX PCB

A placa da fonte e do módulo de potência de RF.:
Super Fone CT3000N fonte e amplificador de RF

Detalhe do transistor de saída (2SC2166), fixado no dissipador de calor que fica pra fora da caixa.
Super Fone CT3000N transistor de RF

Placa do intercomunicador, com um CI amplificador de áudio LM386:
Super Fone CT3000N pcb do intercomunicador

Agora o módulo remoto (o telefone):
Super Fone CT3000N modulo móvel

No vídeo eu falo que todos os CIs são da Toshiba, mas aquele grandão não é (é da Mitsubishi). Outra coisa que não me toquei na hora (e que é bem óbvio) é o CI MB87003 com seu cristal. Aquilo só pode ser um circuito DTMF.
Super Fone CT3000N detalhe da placa

O outro extremo da placa, com mais um LM386:
Super Fone CT3000N detalhe da placa

E todo o módulo de RF, com um transistor 2SC3001 na saída de RF. Nesta placa ficam o transmissor e o receptor juntos.
Super Fone CT3000N modulo TX RX móvel

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Por dentro de um phone patch Intraco modelo PP 10/2

3 comentários
Atualizado 22:25 - Surgiram as palavras "Phone Patch" que parece corresponder a função desse aparelho. Titulo atualizado.

Bom, não sei qu e aparelho é este. Desconfio que seja uma hibrida telefônica, com entrada para duas linhas. Comprei junto com o acoplador de antenas do post anterior.

Intraco modelo PP-10/2

Novamente fiz um vídeo da abertura:



Agora mais fotos e algumas notas. Primeiro a traseira do aparelho:

Intraco modelo PP-10/2
Tem um potenciômetro no canto inferior esquerdo, do lado daquele conector grande, que não possui identificação. E logo acima do conector está marcado "Nulo do Hibrido", mas só tem um buraco. Pode ser que era o local original do potenciômetro de baixo. Quem sabe?

Conheço alguém que talvez saiba o que é isso, quando encontrar com ele vou perguntar.

A clássica foto interna:

Intraco modelo PP-10/2 por dentro

Dá pra ver ali a direita, no centro, um conector para placa vazio. Pode ser que em algum momento tinha uma PCB encaixada ali.

Os dois transformadores tem uma etiqueta com a marca "2005". Como mostrado no vídeo eu errei ao dizer que eles são de 6 fios. Na verdade cada um tem 8 fios. Transformadores de hibridas telefônicas existem desde o inicio da telefonia e só por volta dos anos 80 surgiram CIs para a mesma função (separar o áudio de ida e volta na linha telefônica).

Intraco modelo PP-10/2 parte interna

Detalhe da chave de onda com seus fios encapados com tecido:
Intraco modelo PP-10/2 parte interna 2

Existe uma chance até que grande de que este equipamento tenha vindo direto da fábrica. A Intraco ficava aqui em minha cidade e o prédio ainda existe, podendo guardar mais coisas do tempo dela.

Por falar nisso me lembrei que fui duas vezes até lá. Na primeira foi para comprar um dissipador de calor para um amplificador de áudio de 600W que eu estava montando com um colega (1994). A outra foi no casamento da minha irmã mais nova (1996). A festa do casamento foi feita na quadra de esportes que pertencia a Intraco (ficava na parte de trás). Acho que agora funciona uma fábrica de transformadores (ou de LCD) naquele local.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

Por dentro de um acoplador de antenas caseiro

7 comentários
Encontrei esta coisinha no ferro velho e comprei por causa dos capacitores variáveis:
Acoplador de antenas caseiro

A montagem é claramente artesanal, em caixa de madeira. A abertura da caixa eu deixei para fazer em vídeo, que vocês podem ver abaixo:



Para quem não quis ver o vídeo, seguem alguns comentários:

1. Eu sabia que eram capacitores variáveis no painel por causa dos botões que giravam 180 Graus. Potenciômetros normalmente giram 270 Graus.

2. O acoplador é um casador variável em Pi com uma bobininha na linha série e os dois capacitores em paralelo com os conectores.

3. Os capacitores variáveis são da Douglas, fabricados no Brasil. Capacitores variáveis desse tamanho e construção se tornaram difíceis de encontrar (pelo menos por um bom preço).

4. Na parte traseira tem dois conectores UHF fêmeas. A principio o circuito não tem entrada e saída, podendo ser ligado de qualquer forma.

5. No vídeo eu falo que não dá pra saber qual a frequência e nem a potência de operação. Olhando melhor agora, acho que deve ser para frequências abaixo de 30MHz. A potência prefiro não chutar... ;-)

4. Foto interna:
acoplador de antenas caseiro

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Como testar e identificar medidores analógicos (galvanômetros)

1 comentários
Depois de escrever o post anterior pensei em falar um pouco mais sobre como fiz o teste. Aproveitei e peguei mais dois modelos de galvanômetros que tinha aqui e ainda não havia testado:

Medidores galvanômetros analógicos

O resultado pode ser visto no vídeo abaixo:


Os valores dos resistores, para fonte de 1V, são:
- 10k para teste em 100uA
- 4k para teste em 250uA
- 2k para teste em 500uA
- 1k para teste em 1mA

Para testar galvanômetros de 50uA é necessário um resistor de 20k.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...