segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

"O que faz com esses aparelhos depois que desmonta e tira as fotos?"

5 comentários
O leitor Euclides Rezende lá no meu post sobre o medidor de distorção Húngaro, fez a seguinte pergunta: 

"Olá. Gostaria de saber o que faz com esses aparelhos depois que desmonta e tira as fotos? Espero que não jogue fora. Pois aparelhos assim, devem ser mantidos e/ou enviados para museus."

Sobre o caso específico do medidor de distorção TR9602, pode ficar sossegado pois já tem um igual em um museu aqui da cidade. E o meu eu não joguei fora e nem desmontei. Olha ele lá no canto da foto (foto tirada neste fim de semana):
Bancada de eletrônica

Ele não funciona, dá fundo de escala no medidor, mas está todo original. Só ocupa espaço demais e não é tão útil. Se alguém quiser ficar com ele só se manifestar que eu vendo por um bom preço. Só tem que vir pegar aqui pessoalmente, pois não tenho como colocar nos Correios. Tem um analisador lógico da Tektronix também.

Na foto também dá pra ver outros aparelhos que já mostrei no blog. Não jogo fora os aparelhos depois de desmontar pra tirar fotos. Não tirei foto do chão do quartinho, mas os três gravadores de mesa (Philips, Gradiente e Technics) ainda estão aqui. Destes devo desmontar dois e ficar com um (não sei pra quê).

Concordo com o Euclides, estes aparelhos devem ser preservados. O problema é que eles são só uma pequena parte do que eu já vi nos ferros-velhos da vida. Já escrevi dois posts sobre isso, um mostrando aparelhos de testes e outro com uma visita a um ferro-velho somente de eletrônicos. Quando dá pra salvar alguma coisa eu trago pra casa, nem que seja só um pedaço, como aquela placa MSX de fliperama em 2009. As vezes trago e repasso para algum amigo ou mesmo algum leitor aqui do blog (foram quatro). O último caso foi o de um transmissor de RF que o dono do ferro velho insistiu para que eu levasse embora. Como não era muito do meu interesse (até que ficaria legal do lado da bancada) tirei umas fotos e mostrei a um colega que ficou muito interessado. Na semana seguinte já não estava mais lá...

Transmissor no ferro velho

A questão principal é que se eu não levo embora o pessoal do ferro velho vai desmontar sem dó. Uma vez cheguei atrasado, vejam que tristeza:
Osciloscópios desmontagos

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Sobre o ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

2 comentários
Review de ventilador de teto? Sim, isso mesmo. Ar-condicionado tá caro e gasta muita energia elétrica. ;-)

Primeiro, este é o segundo que instalei. O primeiro foi há alguns meses, não tirei fotos da instalação e levou um Sábado inteiro pra montar (nunca havia montado um ventilador de teto). O segundo foi bem mais fácil e levou umas duas horas.

Isso aqui é o que vem na caixa: 

ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

Veio bem embalado, tem ainda um lustre de vidro fosco que não está na foto. O primeiro ponto a comentar é o manual, que segue a tendência moderna de ser apenas uma folha de papel com fotos bem pequenas. E o modelo do ventilador das fotos do manual não é o mesmo que eu comprei. Alguns passos da montagem são iguais, mas é meio confuso. Então esqueça o manual e vá para o canal do fabricante (Venti-delta) no Youtube que tem a montagem em vídeo deste modelo (Magnes).

ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

Outra coisa que não está escrito no manual é como fixar o ventilador no teto. Conversei com o pessoal das lojas de parafusos e acabei encontrando numa loja de material elétrico essa coisinha aqui:
Reparo para caixa de luz

Isso aí é um tal de "reparo para caixa de luz". Na embalagem tem o guia de como usar, mas basicamente você coloca na caixa de lua e vai abrindo (ele tem uma parte rosqueada) até furar e fixar no concreto da laje. Os dois furos servem pra passar aqueles dois parafusos da foto e prender o suporte do ventilador.

No primeiro ventilador não veio uma das cupilhas do suporte. No segundo veio tudo certo.

ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

O controle do ventilador:
ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

Ele tem três chaves: Liga-desliga das lâmpadas, ventilador-desliga-exaustor e a de controle da velocidade (três posições). Não levantei o esquema, então fico devendo. Como visto na foto acima as conexões dos fios com as chaves não são isoladas e mesmo com a energia desligada pode dar choque por causa da carga do capacitor. Meu primeiro choque de 2016 veio dele...

O capacitor é um Epcos duplo de 7uF/3uF x 250Vac:

ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

A luminária do ventilador suporta duas lâmpadas. No meu caso coloquei duas lâmpadas de LED de 9W e ficou de bom tamanho.
ventilador de teto Magnes da Veti-Delta

Falta a foto do ventilador montado, já com as pás e o lustre de vidro. A montagem destes dois não é complicado e o resultado final até que é bonito. 

Na velocidade mínima é bem silencioso. Na velocidade média ele é mais silencioso que o ventilador comum que a gente usava e refresca muito mais.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Qual é o transistor mais popular?

5 comentários
No post das "50 coisas sobre eletrônica" o Sr. Newton Pessoa (que faz o "peer review depois de publicado" aqui do blog) questionou o item 37 que diz:

"O transistor de maior sucesso já criado é o 2N2222 (1962)"

O link aponta para a página onde é feita esta afirmação. Lá é dito que usaram como métrica a busca do Google, onde o 2N2222 estaria com mais resultados do que qualquer outro transistor. Como o número de retornos na busca do Google varia com o tempo, a afirmação até poderia estar correta na época em que foi publicado aquele texto. Com o questionamento do Sô Newton resolvi dar uma pesquisada.

Então, primeiro precisamos fazer a pergunta correta. Quando perguntamos "Qual o transistor de maior sucesso" estamos falando de todos os transistores ou só os BJT? E se for só estes, seriam só os de baixo sinal ou de todas as potências? Só os NPN? Ó dúvida... Mas vamos em frente, tentando com todos mesmo.

Pra começar procurei no Google e os transistores com mais resultados foram: 2N3055, 2N2222, BC547, 2N3904, BF494, 2SC5200, 2N3906, 2SA1943, BC337, BD136, S8050, BF245, S8550, BF495, BC108, TIP32, TIP42, BD140, 2SC1815, BC548, BD135, 2SC945 e SS8050.  Destes, saiu o gráfico com os doze que mais aparecem:

Transistores na busca do Google
Aí já vemos que o 2N3055 é o que tem mais resultados, com mais de 500.000 páginas. O 2N2222 vem logo atrás. Bom, a afirmação daquele site realmente está desatualizada ou não colocaram o 2N3055 na jogada. Mas ainda assim, apenas o retorno do Google não serve como referência para demonstrar qual o transistor de maior sucesso. Para isso seria necessário ver outros fatores, como a quantidade de peças vendidas e/ou o lucro que o transistor gerou. Como não tenho acesso a estas informações vou trocar o item 37 por outro.

Ok, isso já é assunto resolvido, mas resolvi procurar como anda a popularidade dos transistores. Para isso vamos ver como eles se saem no Google Trends:

transistores no Google Trends

Curiosamente o 2N3055 embora com mais resultados na busca não é tão procurado quando o 2N2222, BC547 e o 2N3904. As buscas pelos transistores 2SXXXXX é bem menor que os outros, por isso não coloquei o gráfico (e o Trends só permite comparar 5 termos por vez).

O que dá pra concluir deste gráfico? Que não dá pra determinar qual transistor é mais popular. Os resultados eram mais favoráveis para o 2N2222 e o 2N3904 por volta de 2004, mas atualmente o BC547 encostou no número de buscas.

Um coisa estranha no gráfico é que dá pra ver um queda de 2004 pra cá nas buscas por transistores, que parece estar estabilizando nos últimos 5 anos.

Notas finais:
1. Os resultados no Google Acadêmico não são muito relevantes, pois há muito mais resultados para transistores Americanos e menos para os Europeus e Asiáticos. Acredito que deva ser por causa da maior produção de artigos em Inglês.

2. Já o NGram Viewer vai só até o ano 2000 e como só busca em livros em Inglês só apareceram resultados para os 2NXXXX da vida.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

4 Serviços do Google que talvez você não conheça

0 comentários
Além dos óbvios Gmail, Youtube e o Blogger, o Google tem mais quatro serviços que eu gostaria de comentar e recomendar. Acredito que pelo menos um deles você ainda não conhece.

Google Acadêmico:
Um sistema de busca focado em artigos científicos. A busca padrão abrange artigos, citações e patentes, mas dá pra buscar só por artigos desmarcando as outras opções a direita da tela.

É bom para buscar patentes idiotas, como a US5110999 (cabo AC para melhorar o som do seu amplificador).

Alertas do Google:
Simples e direto: Cadastre as palavras-chave e selecione a frequência, fontes (blogs, notícias, vídeos e outros), idioma, região, quantidade e para qual e-mail quer receber a informação. Quando alguma coisa com as palavras-chave aparecer no Google você recebe um e-mail.

Normalmente crio algum alerta quando quero acompanhar alguma notícia. O que mais usei até agora usava as palavras "Aeroporto" e "Jaguaruna", para acompanhar o andamento de um aeroporto lá no Sul de Santa Catarina que facilitaria muito minhas férias anuais. O aeroporto já está funcionando e já passei por lá, mas o alerta ainda está ativo.

Outra utilidade é acompanhar as citações e links para o Pakéquis. Como já falei aqui, ter uma palavra única para identificar o blog e minhas coisas na Internet facilita. Se alguém colocar "Pakéquis" (e suas variações) em algum lugar, recebo um e-mail avisando.

Google Trends:
Digite uma palavra e veja o quanto ela foi buscada desde o ano 2004 até agora. Dá pra comparar termos de pesquisa também, pra ver quando uma ultrapassou a outra.

Um exemplo que gosto de mostrar aos colegas é o da "briga" Orkut x Facebook. Comparando as duas palavras e selecionando apenas para o Brasil surge o gráfico:

Okut vs Facebook no Brasil

No gráfico vemos que as buscas por Facebook ultrapassaram o Orkut no fim de 2011, justamente quando o Facebook começou a ganhar espaço por aqui. O pico foi atingido em Dezembro de 2012 e a partir de Julho de 2013 as buscam começaram a diminuir. Olhando os dois gráficos parece que seguem o ciclo do Hype.

Já no assunto eletrônica vejam o gráfico das buscas para "Arduino", "Raspberry pi" e"Beaglebone":

Arduino vs Raspberry Py vs Beaglebone

Um outro exemplo seria o caso de busca imobiliária. Pegando aleatoriamente, vamos supor que eu queira comprar um apartamento triplex (ah, se eu pudesse!). Vou lá no Trends e vejo como anda o interesse do povo no assunto:

Triplex que não é do Lula

Parece que houve um súbito interesse em apartamentos triplex agora em Fevereiro. Talvez os preços subam, quem sabe um sítio em Atibaia seja uma opção melhor...

Ngram Viewer:
É parecido com o Google Trends, só que os gráficos são gerados a partir da quantidade das palavras-chave em livros publicados de 1800 até o ano 2000. Ainda não está disponível em Português, mas em Inglês já dá pra brincar.

Testando com os transistores 2N3055, 2N2222 e 2N3904:

Transistores no Ngram Viewer

Como era de se esperar, os livros começam a falar deles depois de 1960. O pico acontece na década de 80 e depois começam a cair. Vou falar mais sobre isso no meu próximo post.

domingo, 14 de fevereiro de 2016

50 coisas sobre eletrônica (e eletricidade)

11 comentários
Toma aí 50 coisas, fatos, curiosidades e dicas sobre eletrônica e eletricidade [1]. 

1. Eletricidade mata! Parece óbvio (e é), mas muita gente ignora este simples fato. [2]

2. É quase impossível projetar um circuito eletrônico 100% à prova de raios. O circuito pode até sobreviver a uma descarga, mas ficará comprometido. [3]
Pipa de Benjamin Franklin

3. O experimento da pipa de Benjamin Franklin provavelmente nunca aconteceu.

4. Eletricidade estática danifica semicondutores. Não adianta vir com aquela conversa: "Trabalho a n anos com eletrônica e nunca vi queimar com estática". Queima sim...

5. Moto perpétuo não existe. [4]

6. A "lei de Murphy" não é só uma piada. O Murphy realmente existiu.

7. K maiúsculo é Kelvin (unidade de temperatura) e k minúsculo é x1000. Então não é KW e KΩ, o correto é kW e kΩ.

8. A eletrônica digital é um caso particular da eletrônica analógica. [5]

9. O calor é o inimigo da precisão. [6]

10. Resistores (ou qualquer condutor) geram ruído quanto maior a temperatura e maior o seu valor. É o chamado ruído térmico ou ruído Johnson-Nyquist.

11. Na imensa maioria dos casos um resistor defeituoso estará aberto. Nos poucos casos em que não estiver aberto ele estará com seu valor alterado para cima [7]. Nunca vi e nunca ouvi falar de um resistor que tenha entrado em curto.

12. E um resistor defeituoso em um circuito quase sempre é um sintoma de um problema maior. [8]

13. Potenciômetros comuns aguentam no máximo 500mW. Aqueles para PCB ou deslizantes aguentam menos ainda. Mas ninguém calcula a potência sobre o  pobre componente. Muito comum o pot fritar em circuitos de dimmer.

14. Componentes eletrônicos envelhecem. E envelhecem muito mais rápido quanto maior a temperatura. Embora os capacitores eletrolíticos sejam mais conhecidos por este efeito ele acontece com todos os componentes.

15. É relé e não relê. [fonte]

16. Antenas não amplificam! Embora seja chamado de ganho, aquele valor em dB está ligado a direcionalidade da antena.

17. Fios e cabos comuns (ainda) não são supercondutores. Em alguns casos é bom levar em conta a resistência deles para não ter surpresas futuras.

18. O layout da placa de circuito impresso é parte do circuito. E isso é mais evidente quanto maior for a frequência de operação.

19. O mapa de karnaugh tem o formato de um toróide.
Mapa de Karnaugh é um toróide


20. A redação e o laboratório da revista Elektor funcionam num castelo do século 13 em Libricht (Holanda). [9]

21. Tesla não foi tudo isso que dizem na Internet.

22. Tá, você que fala mal do Edison e idolatra o Tesla, já ouviu falar de Oliver Heaviside? Pois então, foi ele quem criou as palavras admitância, condutância, impedância, indutância, permeabilidade e relutância. Também é o inventor do cabo coaxial e "brincava" com matemática. Procure saber sobre ele...

23. A grande maioria dos multímetros digitais são, na verdade, frequencímetros. O motivo pra isso é que os conversores tensão/frequência possuem uma linearidade muito melhor que um conversor AD SAR. Os ADs também perdem no quesito precisão para os frequencímetros.

24. Aquele LM antes de alguns circuitos integrados significa "Linear Monolitic" (monolítico =  tudo em um único pedaço de silicio). E tem os LF que significa "Linear FET". Queria saber o que significa TDA.

25. O último equipamento eletrônico residencial com válvulas é o forno de microondas. E está com os dias contados, pois já existem transistores de potência para esta aplicação.

26. O forno de microondas foi inventado meio que por acidente. Um dos engenheiros estava trabalhando com magnetrons quando notou que uma barra de chocolate em seu bolso havia derretido. Ele resolveu testar depois com pipoca e um ovo (que acabou explodindo na cara de um dos engenheiros). [10]

27. Fora de casa ainda existem alguns lugares onde as válvulas superam os transistores, como nos transmissores de alta potência. Um exemplo é a 4CM2500KG da Eimac, uma das mais potentes válvulas já fabricadas (senão a maior). São 2.5MW (MEGA WATT) de potência, com filamento alimentado por 15.5V e corrente de 640A. A tensão de operação é de 24kV. Refrigeração liquida, claro.
Válvula Eimac 4CM2500KG

28. O termo Nixie usado para nomear as válvulas indicadoras é igual usar Gillette para lamina de barbear ou Bombril para esponja de aço. Na época existiam também as válvulas Digitron, Numicator ou as Numitron (7 segmentos), mas o nome que pegou foi Nixie.

29. Se você precisa enviar um circuito com um 555 para o espaço, a melhor opção é o SE555-SP tolerante a radiação, em encapsulamento cerâmico.

30. O 555 não se chama 555 por causa de três resistores de 5k no divisor interno. Isso é lenda.

31. Potência PMPO não existe em qualquer sistema de padronização de medidas.

32. O CI regulador de tensão monolítico (tudo dentro da pastilha de silício, incluindo o transistor de potência) foi declarado como impossível de ser feito em um artigo de Junho de 1969. Todo mundo acreditou, mas em Fevereiro de 1970, em outro artigo, foi apresentado o circuito do CI LM109, contrariando tudo do artigo anterior. O autor dos dois artigos era o mesmo: Bob Widlar.

33. Todos os CIs com dois amplificadores operacionais ("dual op amp") em encapsulamento DIP de 8 pinos são pino a pino compatíveis. [11]

34. Quase todos os CIs com quatro amplificadores operacionais ("quad op amp") em encapsulamento de 14 pinos são pino a pino compatíveis. Única exceção é o LM4136. [12]

35. Capacitores causam distorções nos sinais elétricos. O nível de distorção depende dos materiais e dos métodos de fabricação do capacitor. [13]

36. Arduino é o nome do bar onde os criadores da plataforma se encontravam. E o nome do bar vem do rei Arduino da Itália que reinou do ano 1002 a 1014. Pronto, já tá bom de Arduino.

37. O transistor de maior sucesso já criado é o 2N2222 (1962). [atualizado!] O 2N3055 é o transistor com mais resultados na busca do Google.

38. O código de cores dos resistores foi criado para facilitar a gravação nos pequenos componentes. E facilita a leitura também, pra quem não enxerga direito. Mas acho que esqueceram os daltônicos...

39. Em 1972 um engenheiro da Signetics criou um datasheet falso para uma tal WOM "Write Only Memory" (memória somente de escrita?). A brincadeira só foi notada depois que alguns clientes começaram a pedir cotações para o produto.

40. O cara que "criou" a WOM da Signetics se baseou em outra brincadeira, mais antiga: a válvula 1Z2Z da Wemac. A 1Z2Z conseguiria oscilar, modular e amplificar ao mesmo tempo enquanto (também) calculava o imposto de renda.

41. Por aqui tivemos o caso da revista Nova Eletrônica que caiu num artigo de primeiro de Abril. Alguém traduziu um texto da revista "Audio" e não notou que era brincadeira. O texto falava do "Sistema Veicular de Reprodução de Discos" [14], um toca discos onde o disco ficava parado e um carrinho ficava rodando sobre ele com a agulha. Mais um projeto da LIRPA Labs.
Revista Nova Eletrônica número 19 LIRPA

42. O primeiro produto da HP, o gerador de áudio 200A, foi feito a partir da tese de mestrado de Bill Hewllet [15] A pedido dos estúdios Disney o equipamento foi modificado e surgiu o modelo 200B. 8 destes aparelhos foram usados para testar os sistemas de som para o filme Fantasia de 1940. 

43. Os circuitos integrados soviéticos usavam um espaçamento entre pinos de 2,5 mm e não de 2,54 mm como os ocidentais. É um submúltiplo de um negócio chamado "polegada métrica".

44. A primeira escola técnica de eletrônica do Brasil foi construída para gerar mais casamentos.

45. Em 1987 Jim Williams escreveu um application note para a Linear Technology deixando a última página em branco. Seu chefe viu a AN e disse que a empresa estava pagando por aquela página. Então Jim fez um desenho a mão na área em branco, que acabou saindo na versão final. [16] E estes desenhos acabaram se tornando uma marca de suas AN. [17]

46. Um multímetro digital embora mais preciso não é tão ágil quanto um analógico. A taxa de atualização de um multímetro digital comum (baseado no CI ICL7106 ou parecido) é de 3 medidas por segundo.

47. Existem resistores fixos na faixa de Tera Ohms e capacitores maiores que 5kF (5000F).

48. O "maior transistor do mundo" fica no antigo complexo da Bell Labs em Holmdel, Nova Jersey. É uma caixa d'água com três "pés", no formato  dos primeiros transistores.

49. CIs do mesmo modelo, mas de fabricantes diferentes, podem ter comportamentos diferentes em um mesmo circuito. Embora tenham o mesmo nome os circuitos internos podem não ser os mesmos. Um exemplo é o clássico 741 com 20 ou 24 transistores internamente. Isso também acontece com reguladores de tensão da série 78XX e com o 555. [18]

50. No século passado a Philips lançou o CI TEA1063 (hibrida para telefonia) que não funcionava direito nas linhas brasileiras. Ela então aprimorou e lançou uma "versão brasileira", o TEA1064.

----------------------------------------------------------------------
[1] Grande parte do post veio de um arquivo de texto onde anoto idéias para posts ou vídeos. Era pra ter virado um vídeo, mas por enquanto vai em texto mesmo. Talvez eu escreva mais sobre um ou outro tópico no futuro.

[2] Conheci dois caras que brincavam colocando o dedo na tomada dizendo "aqui dá choque" e ficavam segurando. Não sei se não sentiam nada ou se sentiam e aguentavam a dor. Só sei que um deles teve problemas depois de um tempo.

[3] Vi muitos casos quando trabalhava numa fábrica de alarmes e quando consertava telefones públicos.

[4]Sério que preciso colocar a fonte desta afirmação?

[5] Em frequências mais altas pode não existir diferença.

[6] Pease, Robert A. - "Troubleshooting Analog Circuits", Newnes 1991, página 98

[7] Isso ocorre principalmente com resistores de alto valor (1M Ohm).

[8] Idem [6], página 26.

[9] Acho que é a única revista de eletrônica em atividade com laboratório próprio.

[10] Já aconteceu comigo. Tentei cozinhar um ovo no microondas. Pareceu tudo certo até que tentei cortar o maldito, que explodiu na minha cara.

[11] No caso de encapsulamentos SMD (SOP8, TSSOP8, etc) existem algumas exceções (conheço um caso da LTC).

[12] Isso só vale para amplificadores operacionais. Comparadores (como o LM339) e amplificadores Norton (como o LM2900) podem ter pinagens diferentes.

[13] Bateman, Cyril - "Capacitor Sound" - Electronics World (Julho de 2002 até Janeiro de 2003).

[14]  Edição 19, de Setembro de 1978, página 53

[15] Esta história (e uma aula de eletrônica analógica) é brilhantemente contada no livro "Analog Circuit Design: Art, Science and personalities" de Jim Willians no capítulo 7: "Max Wien, Mr Hewllet and a rainy Sunday afternoon".

[16] AN25 - Switching Regulators for Poets - Linear Technology - Setembro de 1987.

[17] Todas as AN de Jim Willians estão disponíveis em PDF no site da LTC.

[18] Lembro de um circuito de telefone público que só aceitava um CI TTL da Texas ou Philips. Tivemos que descartar um lote de CIs da ST que não funcionavam de jeito algum.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...