terça-feira, 23 de setembro de 2014

Por dentro do gravador Sony ICD PX312

0 comentários
E eu fiz mais um vídeo. Desta vez desmontei o gravador que uso em meus vídeos, um Sony ICD PX312. Este modelo parece estar fazendo um grande sucesso no Brasil. Tá aparecendo toda hora na TV, só prestar atenção nas mãos de alguns repórteres.


Não se fazem mais eletrônicos como antigamente. O nível de integração deste aparelho é muito grande, manutenção nisso aí fica complicado. Dependendo do defeito sai mais barato comprar um novo do que mandar consertar (caso algum técnico aceite o desafio). Esperava encontrar um pré-amplificador com amp-op para o microfone, mas só tem um CI cuidando da entrada e saída. Uma pena, queria ver se dava pra ligar uma entrada de linha...

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Por dentro do sintonizador LG TN300

0 comentários
Naquele post em que desmontei meu monitor LG M237WA faltou mostrar o sintonizador TN300, que "transforma" o monitor em uma TV. Este sintonizador não vinha com o monitor e tinha que ser comprado separadamente (decisão estranha da LG). Por fora ele é assim:

Sintonizador LG TN300
O cabo com o conector DB9 vai ligado no monitor (outra decisão estranha). Não tem parafusos fechando a caixa, só travas no plástico. Como sempre ocorre nestes casos é quase impossível abrir sem quebrar uma delas. E por dentro não tem nada demais, só um sintonizador de canais (Varicap) montado numa placa:
Sintonizador LG TN300

Busquei pelo código do sintonizador, mas não encontrei o manual. Por baixo tem um circuito com três transistores e só. A legenda dos conectores tem o nome dos sinais. Pelas legendas dá pra ver que o sintonizador é controlado por uma I2C e já sai Áudio e vídeo direto. 

Placa do sintonizador LG TN300

Tirei a blindagem do sintonizador, mas não dá pra ver o(s) CI(s) usado(s) no circuito, que deve(m) estar na parte de baixo;

Sintonizador LG TN300

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Som do PC: Finalmente encontrei uma caixa pra ele...

0 comentários
Pois é, procurei muito uma caixa para montar o amplificador e finalmente encontrei uma lá no Solda Fria (de ferro, modelo CFP-83018) Quem brinca com eletrônica no Brasil sabe como é difícil encontrar uma boa caixa metálica para seus projetos. Estava esperando encontrar alguma no ferro-velho desde que comecei o amplificador, sem muito sucesso. Achei alguns receptores de satélite que até tinham uma boa caixa, mas precisariam de muitas modificações no painel. Uma das opções era um velho gabinete de um Transglobe (o PC, não o rádio) da Itautec, com o mesmo problema de ter que mexer no painel.

A caixa do Solda Fria estava em minha lista faz tempo, mas o preço assustava. Algumas semanas atrás acabei decidindo por usar essa mesmo e, depois, fechar a mão e não comprar mais nada para o amplificador. Agora tenho que concluir o projeto com o que tenho aqui.

A caixa já chegou e mede 30cm x 18cm x 8 cm. Como a foto lá da loja não ajuda muito tirei algumas para mostrar aqui:

Caixa de Ferro CFP-83018
Caixa de ferro CFP-83018 por fora
Internamente ela é bem espaçosa, o transformador mostrado é aquele que tirei da "Fonte Argentina", que estou pensando em usar no amplificador.
Caixa de ferro CFP-83018
Caixa de ferro CFP-83018 por dentro
Ela tem uma espécie de chassis interno, que serve para fixar as tampas e os painéis frontal e traseiro. Os painéis são de alumínio e vieram com um plástico protetor, para não riscar. A fixação é assim:

Caixa de ferro CFP-83018

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Som do PC: Pré amplificador e simulações do controle de tom

0 comentários
Vamos lá...
Depois de testar a etapa de potência e ver que estava tudo certo passei para o estágio de entrada (pré amplificador). O nível na entrada da etapa de potência tem que ser de 7,5 VRMS para conseguir os 7W (em 8 Ohms). Para um sinal de 500mV na entrada seria necessário então um ganho de 15 vezes no pré (23,5 dB). Para um ganho tão alto ainda vou ver o que fazer, tenho alguns poucos CIs LME49710 que devem dar conta do serviço. Como esses bichinhos não são baratos devo usar apenas um em cada canal, só para o ganho mesmo.

No momento estou desenhando as placas e pensando nos controles do amplificador. Além do controle de volume pretendo colocar mais alguns ajustes para equalização (controles de tonalidade). Olhei alguns circuitos por aí, desde um ajuste de Loudness até equalizadores multi-banda. Pra não complicar demais acabei ficando no meio termo: um controle de tom com ajustes de graves, médios e agudos. Como decidi não gastar mais nada neste projeto terei que usar os componentes que tenho por aqui, o que inclui um saco de potenciômetros duplos de 50k. O circuito é clássico e tem por aí na web variando apenas nos valores dos componentes. Desenhei o circuito no LTSpice com os potenciômetros de 50k (R2/R3, R8/R9 e R12/R13) e dei uma fuçada nos valores até chegar nesta versão:

Esquema controle de tom
Ignorem o código do amplificador operacional, pode ser qualquer um (usarei o NE5532), o que importa são os componentes passivos. O ideal em um controle de tom seria usar um ampop para cada controle (graves, médios e agudos) para evitar a interação dos componentes de cada ajuste. Mas como quero simplicidade e poucos componentes este circuitinho já está bom. As curvas de resposta ficaram assim na simulação, com os controles no máximo para cada faixa:

Graves
Graves
Médios
Médios
Agudos
Agudos
Com os três controles no máximo a interação fica mais visível, com uma diferença de 9dB entre os graves e agudos:

Agora é montar e testar na "coisa" de verdade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...