domingo, 18 de março de 2012

Por dentro do osciloscópio 2530B da BK Precision

8 comentários
Continuando o assunto dos osciloscópios, esta semana rolou uma discussão sobre o scope 2530B da BK Precision nas listas que participo. Como eu tenho um destes que já saiu da garantia resolvi desmontar pra tirar umas fotos e obter mais informações. O osciloscópio é este aqui embaixo (na foto a ponta de prova é uma da DX que eu estava testando):


A princípio pensei que seria simples a desmontagem do aparelho já que apenas quatro parafusos prendem a tampa traseira. Acontece que dois deles ficam embaixo da alça do osciloscópio e esta alça não sai (não consegui tirar de jeito nenhum). Só consegui soltar os parafusos com uma chave philips fina e com muita paciência. Sem os parafusos puxei a tampa traseira e ouvi um barulho de plástico quebrando. Pensei que era uma trava ou mesmo um parafuso que eu não tinha visto. Mas foi isso aqui:


A chave liga-desliga que fica em cima do aparelho e cujo knob passa pela tampa traseira ficou presa nesta e  ao puxar eu quebrei o pino da chave. O correto é retirar o knob da chave antes de abrir a caixa. Tive que colar o pino quebrado com Super Bonder na hora de remontar o aparelho. O remendo deu certo e a chave está funcionando normalmente.

A caixa interna do scope é assim:

A tampa traseira é só encaixada nas laterais e fica presa só pelos parafusos do conector DB9 da serial. Retirada a tampa vemos a placa principal e a placa da fonte:
Tem uma tampa em cima presa com dois parafusos que tem que ser retirada pra abrir caminho para a chave poder alcançar os parafusos da placa principal. Placa esta que é presa também pelos conectores BNC ao painel frontal. A placa principal é esta aqui:
Os circuitos dos canais de entrada são blindados, mas na foto aparecem sem a tampa, que eu retirei pra poder mostrar melhor. A terceira e última placa do aparelho é a placa do painel frontal:
Como dá pra ver são oito encoders rotativos e vários pads para o teclado de membrana frontal. Alguns destes pads possuem LED's SMD que iluminam algumas das teclas da membrana. Embaixo é assim (os ci's são multiplexadores analógicos):
Dando uma olhada mais de perto na placa principal vemos primeiro o processador Black Fin ADSP-BF531 da Analog Devices ligado a 64Mb (8MBytes) de Flash (S29GL064N90) e 128Mb de DRAM (H57V1262). Embaixo, ao lado do buzzer tem o controlador USB ISP1362:

Os circuitos de entrada dentro da blindagem:
Depois de tirar as fotos da camera e com o scope já remontado foi que eu vi que não tinha anotado os códigos dos CI's da entrada. Embaixo, fora da blindagem, tem alguns multiplexadores analógicos (74HC4051 e HC4053):
Deixei o principal para o final, que são os conversores A/D das entradas ligados a uma FPGA Cyclone IV da Altera:
Em cima, lá no canto direito tem um controlador do LCD (HX8817) e embaixo da placa tem uma PLD LCMXO256 da Lattice:
Nestas duas últimas fotos dá pra notar que existem locais para mais três conversores A/D's que devem ser usados em outros modelos de osciloscópios. E por falar nos conversores A/D's, foram eles que me levaram a abrir o aparelho. O único problema é que a BK raspou os CI's! Sem o part number dos conversores fica difícil avaliar se os circuitos são superdimensionados como nos aparelhos da Rigol que com uma troca de firmware podem passar, por exemplo, de 50MHz para 100MHz.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Meu Novo Velho Osciloscópio

4 comentários

O Macagnan perguntou sobre o osciloscópio Tektronix do meu cunhado no post anterior e me lembrei das fotos que tirei do meu novo (ou muito velho) osciloscópio. Era pra ter postado estas fotos no ano passado mas acabou igual aos outros posts que nunca escrevo. Tem muita foto guardada aqui e post que é bom nunca sai...

Mas voltando ao osciloscópio, comprei este aqui num ferro velho ano passado. Sempre quis um osciloscópio analógico valvulado para usar de enfeite (isso mesmo, igual nos filmes). Não precisava funcionar, apenas ser valvulado, com a tela verde, muitos botões, em bom estado e o menor possível. Encontrei um que atendia estes requisitos uma vez, bem pequeno e valvulado, acho que era um Philips. Acabei não levando e da outra vez que voltei ao ferro velho ele já não estava lá. Este aqui eu decidi não deixar passar, embora seja bem maior e de tela cinza.

Em casa tenho dois outros osciloscópios, um BK Precision 2530B e um JYE Tech DSO 062. Já este velhinho é um osciloscópio nacional da marca Engro modelo ORC-10. Claro que não encontrei nenhuma referencia a este modelo na rede, deve ter alguma coisa em alguma revista de eletrônica antiga, quem sabe? Na traseira tem uma placa com o número de série (123) que não diz muita coisa:
Osciloscópio Engro ORC-10
O aparelho estava um "pouquinho" sujo por fora e precisou de um pouco de trabalho para ficar mais aprasentável. Tive que desmontar tudo pra poder limpar o painel frontal que estava assim:

Osciloscópio Engro ORC-10

Para retirar o painel frontal tive que abrir o osciloscópio inteiro. A parte interna não estava muito limpa também:

Osciloscópio Engro ORC-10

Osciloscópio Engro ORC-10


Não consegui identificar o ano de fabricação, mas parece ser um modelo mais recente já que usa placas de circuito impresso e não um chassi de metal para a montagem das válvulas (fotos tiradas depois da limpeza):
Osciloscópio Engro ORC-10

Osciloscópio Engro ORC-10

Atrás painel a montagem lembra mais um aparelho valvulado:

Osciloscópio Engro ORC-10

Encontrei duas coisas curiosas dentro dele. Primeiro a válvula da fonte tem uma espécie de borracha no topo presa por meio de fita adesiva. Deve ser por causa da alta tensão que deve ter por ali:

Osciloscópio Engro ORC-10

Segunda curiosidade é esta válvula ECC85 da Tchecoslovaquia (Todas as outras válvulas são nacionais) da marca Tesla:

válvula Tesla ECC85
Claro que tentei ligar o aparelho, mas não deu sinal de vida, nenhuma válvula acendeu. Uma pena, quem sabe algum dia eu tento arrumar...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...