domingo, 30 de novembro de 2008

Consertando um Telejogo I da Philco-Ford

23 comentários
Recentemente comprei este Telejogo I com defeito por menos de R$10,00. O aparelho ligava (o LED acendia) mas não dava sinal algum na saída. Fisicamente está em bom estado de conservação, todo original. Aparentemente não havia sido aberto para manutenção.

Telejogo I da Philco FordSegue uma foto da parte de baixo do Telejogo onde dá pra notar que são apenas 2 parafusos para fechar a caixa. O cabo de RF (fita de 300 Ohms) parece ser o cabo original. Uma curiosidade do aparelho é o tamanho dos cabos de rede e de saída. Ambos tem 3,5 metros de comprimento.

Telejogo visto por baixoAgora temos uma visão da parte interna. A construção é típica de equipamentos eletrônicos da década de 70, feita de madeira e plástico. Os controles do videogame são os dois potenciômetros de 500k e os bornes laterais são para controles externos. Nunca vi um controle externo pra esse console, nem sei se existem.

Telejogo por dentroNa foto acima já dá pra ver o defeito principal na placa (pcb). Esta placa é presa por meio de 3 parafusos a parte de madeira interna. De um lado da placa temos as 3 chaves de controle do aparelho. As chaves são as seguintes:

- Liga/Desliga
- Canal 3 ou 4
- Jogo ou treino
A posição dessas chaves em relação aos parafusos fez com que, após muito uso, a placa quebrasse. O estrago pode ser visto abaixo:

Placa quebrada do TelejogoOutro defeito que notei foi o potenciômetro esquerdo quebrado. Este conserto teve que ficar pra depois. Quando eu encontrar um potenciômetro com o mesmo tamanho eu troco. Minha preocupação no momento era apenas verificar se o Telejogo tinha salvação.

Potenciômetro quebrado do TelejogoAproveitando a oportunidade e já que não existe muita informação a respeito, resolvi coletar alguns dados sobre o equipamento. A PCB principal pode ser vista na foto abaixo (lado dos componentes):

Placa (PCB) do TelejogoO coração do Telejogo é o CI MM57100N com os jogos “Paredão”, “Futebol” e “Tênis” (o famoso Pong). Segundo a tabela no Pong-Story os nomes originais dos jogos são: "HOCKEY", "TENNIS" e "SQUASH". O CI de 8 pinos ao lado dele é um driver de clock MM53104N. Na parte de RF temos um modulador de áudio e vídeo LM1889N.

A fonte de alimentação é bem simples, com um transformador de 15+15Vac, dois diodos, um capacitor de 1000uF/40V e um regulador integrado de 15V. As duas chapas de metal no canto superior esquerdo (CHC701 e CHC702) são as chaves de seleção de jogo e de inicio. Ambas estavam um pouco oxidadas e fora do lugar. Tive que acertar a posição delas e dar uma limpada. O cristalzão embaixo é de 3,575611 MHz.

Procurei pelos manuais dos CI´s mas só encontrei o do LM1889N. Este manual tem um circuito incrivelmente parecido com o do Telejogo. Apenas a parte de saída de RF difere um pouco. O Telejogo não possui chave de comutação antena/TV. Segue o esquema:

Esquema do TelejogoBom, o conserto não levou nem meia-hora. A principio pensei em resoldar as trilhas defeituosas, mas o problema poderia voltar com o uso. A solução final foi refazer as trilhas com fios. Ficou assim:

Conserto do TelejogoApós fechar o aparelho liguei a saída de RF em minha placa de captura de vídeo pra testar. O aparelho deu sinal de vida mas sem cor. Passei a placa de PAL-M para NTSC e nada de cor. Daí surgiu a dúvida se o aparelho é preto-e-branco ou colorido. Pra tirar a prova liguei numa TV:

Telejogo ConsertadoComo não sabia se essa TV selecionava o padrão de cores automaticamente tive que testar em outro aparelho. Lá fui eu testar em mais duas TV´s diferentes. Em uma Philco que eu sei que seleciona NTSC automaticamente a imagem ficou colorida e o Telejogo funcionou como deveria. Em outra que eu tenho certeza que é somente PAL-M ficou preto-e-branco. A conclusão óbvia é que o Telejogo é NTSC. Bom, pelo menos este que está comigo.

Outra conclusão que tirei é que minha placa de captura embora mostre um padrão diferente só funciona em PAL-M.

Agora só falta trocar o potenciômetro esquerdo para que eu tenha o primeiro videogame lançado no Brasil funcionando perfeitamente.

domingo, 2 de novembro de 2008

O estabilizador picareta do meu PC...

2 comentários
Recentemente troquei meu estabilizador antigo por um filtro de linha. O motivo é que não há necessidade de um estabilizador de tensão para alimentar fontes chaveadas de PC e equipamentos de informática. Essas fontes já possuem uma enorme tolerância a variações da tensão de entrada. Além do que a energia que temos hoje não varia tanto assim. Para saber mais sobre esse assunto veja esse tópico no fórum do Guia do Hardware.
O estabilizador por dentroSei que é vergonhoso dizer que eu usava um estabilizador mas é que no meu caso ele servia apenas como expansor de tomadas. Não me preocupava se ele fazia diferença. Ganhei de brinde em 2001 quando troquei meu Pentium 233 por um AMD K6II-450.

Como comprei o filtro de linha com seis tomadas (o estabilizador tem quatro) resolvi reorganizar os cabos da minha mesa e retirar o estabilizador. Ele ocupava bem mais espaço e já estava fazendo aquele barulho irritante de 60Hz de transformador velho.

Já com o estabilizador fora da mesa notei que a caixa era bem espaçosa e poderia ser usada no meu projeto de fonte de bancada. Essa idéia de usar as caixas de estabilizadores em outros projetos não é nova e é melhor do que jogar fora os aparelhos velhos ou queimados.

As saídas do estabilizadorDesmontei o bichinho pra ver o que tem dentro e tive uma desagradável surpresa: O estabilizador é o pior que eu já vi. Na caixa é dito que a potência máxima é de 1200W, o que dá em torno de 10 A de corrente em 127VAC. Então toda essa corrente deveria passar por aquele fio amarelo de bitola 22 da foto. E isso sem falar do transformador que não aguentaria 1200 W nem se fosse duas vezes maior. O fusível pelo menos é de 10 A, então os projetistas realmente acreditavam no trafinho.

Em estabilizadores “normais” o pessoal usa 2 relés para chavear os taps do transformador (três taps para dois relés). Esse é o funcionamento clássico e a checagem da tensão de entrada é feita normalmente com comparadores integrados (o LM339 é o mais usado). No meu estabilizador foi usado um circuito ridículo com dois transistores e um relé. Quando a tensão cai o relé é acionado e a tensão sobe um pouco.

Placa de controle do estabilizadorProteção de modemOutra picaretagem (e que o fabricante vendia como diferencial) é a “proteção de modem”. São duas entradas de telefone atrás do aparelho, uma para ligar na linha telefônica e outra no modem. Como se vê na foto ao lado essa proteção é apenas um varistor de 75V montado numa placa com os conectores.

Como tenho o costume de guardar todos os manuais de usuário, aqui está a foto do manual do estabilizador. Notem o “Top Line” na parte frontal e a “Variação na saída” de mais ou menos 5% nas “especificações técnicas” da ultima página. Manual do estabilizador

FETIN 2008 - Persistência da visão

0 comentários
Bom, sobraram umas fotos e um vídeo do projeto de um painel de LED´s usando o efeito da persistência da visão.

A idéia é simples e funciona com uma fileira de 7 LED´s azuis que ficam girando. Controlando os tempos de ativação ou desativação dos LED´s forma-se a mensagem. Na foto abaixo da pra ver que o circuito todo foi montado no eixo que gira, com a placa de LED´s, uma placa de controle (Acredito que tenham usado um microcontrolador PIC) e a bateria na outra extremidade, usada como contrapeso.

O efeito completo não aparece na foto, então segue o vídeo do aparelho ligado:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...